terça-feira, novembro 08, 2011

.:MAIS UMA VEZ, O TAL DO BULLYING:.

Na segunda-feira, fiquei tão puta passada com a história do mamão papaya que acabei não contando um episódio muito triste que aconteceu na escola em que trabalho de manhã.

Depois do recreio, fui buscar meus alunos na fila e logo percebi que algo estava errado. Todos falavam ao mesmo tempo. Uma das alunas, tomou a frente e falou:
- Professora, o Joãozinho sofreu bullying. [ele é gordinho]

Todos continuaram falando ao mesmo tempo, tentando me contar o que tinha acontecido, numa grande agitação. Pelo que pude entender, alguns meninos da outra turma, passaram o recreio xingando, humilhando e ameaçando meu aluno [Ai se você soubesse como eu fico louca da vida quando mexem com um deles...].

Quando olhei para o Joãozinho, vi que ele estava com uma carinha triste, com um choro preso na garganta. Tinha medo nos olhos dele.

Encaminhei alguns alunos que testemunharam o ato e os demais envolvidos (incluindo o Joãozinho) para a diretoria, afinal, os alunos acusados de praticar o bullying não eram da minha turma.

Depois que eles voltaram da diretoria, compartilhei com todos a minha história.

"(...) também sofri bullying na escola numa época em que ninguém achava que isso tinha importância. Tinha apelidos e ouvia sempre o tal do "gorda-baleia-saco-de-areia", entre muitos outros. Não lembro de ser defendida por ninguém. Não lembro de contar aos meus pais que isso acontecia. Meus amigos não me defendiam. Os professores, então ... (...) também acabei me isolando de tudo. Acho que até fiquei meio depressiva." Texto integral aqui.

Falei para eles que eu estava muito orgulhosa da atitude deles. Afinal, eles defenderam o colega sem usar a violência.

Procurei convencer o Joãozinho que, apesar de ter acontecido uma coisa triste, ele deveria guardar o dia como uma lembrança boa porque são nesses momentos que descobrimos que são nossos amigos verdadeiros. No entanto, mesmo com todo meu otimismo, ele não foi a escola no dia seguinte (ontem).

Queria acreditar que a falta dele não está relacionada ao episódio do bullying, mas é difícil se convencer disso.


Quem já sofreu bullying sabe bem o que eu estou falando, não é mesmo?

16 comentários:

disse...

Super complicado lidar com isso e acredito que hoje mais que nunca. Trabalho com crianças com algumas limitações e comprometimento da mímica facil causado por uma síndrome e frequentemente escuto as crianças no ambulatório contando os episódios que passam. Comecei um projeto de contação de histórias nas escolas e orientação a alunos e professores dessas crianças... Sei lá é muito complicado quando as pessoas não sabem aceitar as diferenças e fazem disso motivo de chacota. Muito triste. Espero que seu aluno esteja bem. Beijos!

Vanessa disse...

Aff....mas que coisa hein Rapha...é muito dificil essa situação ...mas ainda bem que vc apoia seus alunos e os defendem PARABENS....pela atitude...beijos

Amélia Calórica disse...

Eu fico passada quando imagino que tem histórias assim, aqui em casa sempre converso com meus filhos chama todos os teus amigos pelo nome e nunca apelido e sabe que nenhum apelido pega no meus filhos? Na escola eles são conhecidos pelo nome acho isso bem legal e achoque tudo depende tb da criação de casa, berço... Mas vc escrevendo e eu lendo daqui fiquei imaginando o Joazinho a tristeza que é a mãe do Joazinho foi comunicada é muito importante viu, até para ela ajudar , entender, ver se não acontece em casa entre irmãos, ver o porque dele não ter auto estima suficiente para dar uma resposta as estes meninos que pertubam a paz dele, enfim fico muito triste e imagino vc quando sentiu a falta dele hoje...bjs Dani

Paula disse...

Queria eu ter tido uma professora assim!

Rachel disse...

Nossa, sofri e muuuito na escola. Me lembro de uma coleguinha me defendendo uma vez!!! Isso marca mesmo a vida da gente, viu??? Mas espero que ele volte logo e sem mágoas. Pq a forma como os pais lidam com isso tb é muito importante!!! Bjs e quem sabe um dia consigamos vencer.

Nat Viegas disse...

Oi Rapha!
Nossa, se tem uma coisa que me deixa enfurecida é alguém praticando o tal do bullying, como hoje se chama. Meu irmão menor (tem 10 anos, tá na 5a série) é gordinho também, e os colegas deles vivem incomodando!!! Ai, que raiva!! Essas pessoas que cometem bullying nem imaginam o quanto isso atinge a criança.
Imagino que tu tenha ficado muito triste com a história mesmo, ainda mais por já ter passado por isso :/

·.¸¸.·**Vivi**·.¸¸.· disse...

Nossa Rapha, triste a historia do seu aluno... Mas que bom que ele tem vc como professora,que sabe dar o apoio certo! Tenha certeza de que por mais que ele esteja triste ainda e afetado pelo episodio, seu papel fará a difrença para a vida toda dele!!

Ahh e não esquece que hoje sairá o resultado da primeira semana do Desafio Boa Menina!!!! beijinhos!

Patricia disse...

Esta é um situação muito dificil, mas ele tem uma professora qe sabe dar apoio a ele e que vai ajuda-lo a esquecer este episodio. Mais essas crianças são impossiveis, mais vai ficar tudo bem sim.
beijinhos :*, fique tranquila que seu aluno vai ficar otimo.

Anônimo disse...

Gostei muito da sua atitude em relação ao acontecido. Sou especialista em bullying e tenho um site www.bullyingnaoebrincadeira.com.br
Muita gente me diz que o professor já está tão assoberbado com tarefas e ainda ter que lidar com bullying, é demais! Mas são atitudes como a sua, que fazem parte do bom senso e da vocação do professor, que podem reverter uma situação tão penosa.
Parabéns!
Vou postar seu artigo no meu site
Valeria Rezende da Silva

Palestrante disse...

Nossa... é de partir o coração essas histórias...
O q mais me doe é saber como muitas crianças são preconceituosas ... como cresceram e farão da sociedade um mundo melhor?

Eu sofria por ser negra... pq não ter um cabelo liso e posteriormente por estar acima do peso... a dor não tem explicação...

Parabéns pela atitude!
Bj
Lu

.mechamamdelu.blogspot.com

nique disse...

Nossa Rapha só mesmo quem já passou por isso pra saber como é horrível, e sem ter alguém por perto é pior ainda. Foi muito legal a atitude dos seus alunos acredito que isso também é fruto do seu trabalho como pedagoga parabéns pela turma bjus.

disse...

Sim, eu tb sofri bullying! Cometi o pecado de ser gordinha e usar óculos AO MESMO tempo na época de escola! E me lembro direitinho do sofrimento, afinal de contas, nunca conseguia entrar no grupo das meninas pops do colégio e ficava de lado!

Muito bom saber que pessoas como vc estão no front desse campo de batalha e se preocupam. Afinal de contas, crescemos sabendo lidar de maneira razoável com esse trauma, mas nunca se sabe o impacto que pode causar! Bjs!

Laura disse...

, haa. Eu sei bem como é isso ! Sempre fui chamada desses tipos de apelidos "carinhosos" também ! rsrs. E isso, infelizmente, sempre irá existir.

abraçooos

Bel do Lu disse...

Ai, como fico triste, triste! Eu nunca sofri bullyng. Na verdade, tinha os amigos que me chamavam de Mônica ou gorduchinha, quatro-olhos, nanica, pipoca mas era tudo saudável. Eram meus amigos de verdade e um brincava com o outro e ninguém achava ruim. Eu tive sorte de ter amigos legais, acho.

MAS eu ficava MUITO BRAVA quando via algum colega ser chacoteado. Não sei o que havia, mas desde criança sabia que era errado rir dos outros sob qualquer circunstâncias. Então, lembro de ter defendido três ou quatro colegas, em momentos diferentes da vida escolar, de ter ficado entre eles e os que estavam rindo e até dando tapas. Teve caso que eu empurrei menino que ia colocar areia no outro que era perseguido pela classe. Ganhei o apelido de "defensora dos frascos e comprimidos" e escutei isso em momentos diferentes da minha vida: aos 8 anos, aos 12 anos e aos 15, mais ou menos. E sempre me senti feliz por isso porque sabia que estava fazendo a coisa certa. Aos 8 anos, eu lembro muito bem, um outro menino da classe juntou comigo e não deixávamos ninguém incomodar o que era perseguido (um menino estrangeiro, mal falava português, gordinho, tinha problemas com suor, etc), estávamos sempre de olho e protegendo, coisa engraçada. Isso durou até ele mudar de escola. Eu ficava chocada e não entendia porque tanta zoação...

QUE ÓTIMO que os seus alunos defenderam o colega. Se puder, diga a todos eles que eu e mais um monte de gente que comentou aqui, estamos contentes por eles serem tão legais e corretos!

Pollyanna disse...

Oi Rapha, eu já senti na pele o que é isso! Espero que ele tenha retornado as aulas e que isso não atrapalhe a vida dele.
Parabéns pela sua atitude de encaminhar a denúncia e de estimular os outros alunos a defender os colegas.
Beijo

erica_correia disse...

Linda a atitude dos seus alunos! Sempre fui gorda e também não me lembro de ser defendida por algum amigo, pelo contrário, todos riam de mim. Enfim, sinta muito orgulho da sua turma, pois mostra que essa geração tem mais consciência do que acontece a nossa volta. Fico muito feliz em saber que existem crianças preocupadas com o próximo!
Seus alunos estão de parabéns!

Dê uma passadinha no meu blog: fora20kilosblogspot.com